::Relato de um AutoEntusiasta::

Publicado: agosto 14, 2009 em Uncategorized

Este meu comentário foi ao ar no AutoEntusiastas:

Tenho sérios problemas pessoais e mentais.
O pessoal é minha esposa que sempre implica com minhas necessidades mentais em estar envolvido no meio “autoentusiasta”.
O mental é pensar que ela, vez ou outra, acaba tendo razão.

Tenho apenas um “carregador de gente” pois a família é grande, o salário é curto e a razão tem pesado mais que a emoção, mas sempre que posso, namoro um carro ou outro.

À solteirice tive duas pequenas jóias: Um Escort Mk5 XR3 2.0i e posteriormente um Mille Fire. Nada de grandioso já que na época o Escort era dado como carro velho, apesar de impecável, e o Mille não passava de um Uno novo e personalizado.

Não importava-me com o que pensavam, diziam, excomungavam ou mesmo atazanavam… eram minhas jóias, minhas pérolas, meus xodós. Acordar cedo, polir até tarde, ficar sem almoço, zelar pelo bem deles sempre foi mais que uma paixão, menos que uma obrigação e um verdadeiro tesão!

Nada melhor do que passear no XR3 com o teto solar aberto, bem acomodado no delicioso banco Recaro, desfrutando de toda a elasticidade do motor de 2.000cc. Quando se foi, envolto em chamas, veio o Mille.

.:run4fun:.
Ford Escort Mk5 XR3 2.0i – Não é uma foto do meu, mas era idêntico.

A princípio, apenas um meio de locomoção. Tinha idéia de trocá-lo por um “antigo mais completo”, sem que fosse um Uno. Financiado, sem saldo para quitar, com prestações a pagar, o jeito foi modificar. Entraram rodas 15″, suspensão preparada, aspiração leve e logo depois, aquele carro que deveria servir de meio de locomoção e poupança forçada já estava recebendo planos de um motor 1.9L 16v CorsaLunga e estruturação… mas não passou de um plano.

.:run4fun:.
Fiat Mille Fire

Uma senhorita conhecida após um encontro de carros, numa festa da minha família, entitulada “noiva”, ficou grávida e após dois anos com o Mille, precisei vendê-lo para adquirir residência para minha nova família.

À época, doeu um pouco a venda, mas os motivos eram nobres e o desejo de ser pai sempre me motivou a melhorar todos os dias. Eu dirigia o Fiesta GL da esposa e revesavámos o volante, mas nunca me encantei com o carro. Vendemos o carro após um ano de casados e adquirimos (agora não tinha um carro só meu… era “nosso”!) um Siena. Espaçoso para carregar as tralhas que andam embutidas quando se tem filhos e com quatro portas (nunca gostei dessa configuração e jamais gostei de sedans. Queria uma Palio Week, mas o $$$ não dava à época). Os planos eram de comprar outro carro em dois anos, mas neste meio tempo, outro bebê estava encaminhado e os planos escorreram pelos dedos como água.

.:run4fun:.
Ford Fiesta GL

Hoje não tenho pressa de adquirir outro carro, pois ando sempre com o Siena. A patroa parou de trabalhar para se dedicar às pimpolhas (uma de 2 anos, outra de 6 meses e ainda tenho uma enteada de 11 anos) e o orçamento anda apertando mês sim outro também. Comprar outro carro agora só se fosse uma Van, pois eu teria que morar dentro dela já que a patroa me escurraçaria de casa, mas ainda planejo…

.:run4fun:.
Fiat Siena Fire Flex

Não tenho desleixado com o Siena, mas confesso que após um ano e meio de uso, sua pintura não conheceu cera. Quase sempre é lavado em posto ou lava-jatos, já atrasei sua troca de óleo uma vez e a maçaneta da porta traseira tem pedido uma atenção especial que teimo em não dar já fazem oito meses. Beeeeeeeeeeeem diferente de como era com o XR3 e o Mille, mas o desgraçado insiste em me cativar todos os dias com seu ar-condicionado, direção hidráulica e porta-malas com espaço para dois carrinhos de bebê, sacolas, bichinhos de pelúcia e velotrol (sim, cabe tudo isso e mais um espacinho).

Não é o carro dos meus sonhos, mas toda vez que desço as escadas e me dirijo à garagem, ouço um “vamos dar uma volta?” e tenho que atender, afinal, é meu companheiro de aventuras.

Grande abraço.

Sim, foi apenas um comentário no post “No que eu acredito” do Juvenal Jorge, mas resolvi compartilhar com vocês, afinal isto aqui é um blog, correto?!

Um pouco da minha história, levemente resumida.

Grande abraço!

Anúncios
comentários
  1. Neneds disse:

    Muito bacana o texto cara realmente ser um apaixonado por carros e as vezes não poder realizar seus desejos e planos as vezes é frustrante.

    Abraço!

  2. Conde disse:

    Ótimo texto . Só os autos-apaixonados compreendem o que vc quis dizer . Abraço

  3. Rodrigo disse:

    Caro Rafael, sempre acompanhei seu blog e gosto mtos dos posts, e qdo li que vc teve um XR3, lembrei do meu, cara, na boa, queria conversar com vc poer e-mail, vc parece ter umas ideas bem interessantes sobre carros, seria legal debater com vc !
    se tiver afim de conversar me manda pelo rodrigotav@gmail.com

  4. Roh disse:

    é isso mesmo que acontece mas fazer o que ne cara, familia é familia.. abração ai!

  5. Celso disse:

    As paixões de verdade, essas são eternas! Garanto que seus filhos lhe trazem muitas felicidades, assim como seus carros do passado…

  6. Anonymous disse:

    Mais um belo texto né, pra nao perder o costume… heuhuehuhee

    abraço!

    digus.com.br

  7. AUTOentusiastas disse:

    Belo post!

    Vou enviar o link ao JJ.

    Abraço.

    PK

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s