::Honda CBX 750F – Sete Galo::

Publicado: maio 29, 2010 em 750F, CBX, Honda, Sete Galo
“I gotta find peace of mind…
I gotta find peace of mind

He says it’s impossible…
But I know it’s possible

He says it’s impossible…
But I know it’s possible
…”
Peace of Mind – Lauryn Hill

O ronco intimida. A carenagem completamente preta insita a fazer algo errado. Uma acelerada mais decidida faz tudo aquilo que você considera como racional correr por água abaixo e a única reação que você conseguirá ter é enrolar o acelerador e sentir o prazer de pilotar aquela que é um ícone nacional. Para alguns, a paz da mente está em não pensar em nada e como anti-estressante, a “Sete Galo” é um ótimo remédio.



Não é difícil encontrar pela internet dados técnicos e históricos sobre uma das motocicletas mais aclamadas do cenário nacional: a Honda CBX 750F. Uma das matérias mais completas e detalhadas sobre o cenário nacional, a história de sua existência, seus altos e baixos até sua extinção, encontrei no Best Cars Web Site. Vasculhando um pouco mais, encontrei duas matérias específicas sobre a CB 750 (precursora) e a Sua magestade, CBX 750F. Recomendo a leitura completa dos dois artigos, pois, além de não poder acrescentar uma vírgula sequer aos artigos do Fabrício Samahá, aqui vou falar de outra história: A do Sr. Cannata e sua CBX 750F.




Pai do amigo forista Vinícius Cannata, que já passou por aqui com seu VW Fusca’67 & Empi 5 Spokes, o Sr. Cannata sempre foi apaixonado por motos e ja possui várias CB 400 e 450, além de uma CB 750 ’74 completamente original numa época onde ninguém queria esta moto por conta do elevado custo de manutenção e um desempenho comparável à uma CB400. Mas o coração do Sr. Cannata palpitou mais forte quando a CBX 750F chegou ao mercado nacional. Apaixonado, adquiriu um consórcio para conseguir comprar uma “Sete Galo”, mas pro prioridades da vida e alguns problemas financeiros, o sonho precisou ser adiado. Com as bruscas mudanças no mercado nacional e no próprio país entre 1992 e 1994, o Sr. Cannata veio a perder seu emprego dado à falência da empresa em que ele trabalhava. Casa, família, novas prioridades… e o sonho daquela CBX 750F foi ficando para trás e cada vez mais distânte.





Vinícius, seu filho único, aprendeu desde cedo com seu pai a gostar de motos e em 2007 adquiriu uma clássica CB 500’72 bastante judiada para arrumar aos poucos. O primeiro passo foi cuidar da mecânica e hoje, Vinícius está terminando a parte estética. Sr. Cannata usava-a de vez em quando para não passar vontade, mas o desejo de ter aquela que sempre foi seu sonho de consumo estava lá, sempre presente, mesmo sem nunca ter pilotado uma: “Ainda vou comprar uma Sete Galo um dia…” Era o sonho voltando a tona depois de adormecido por mais de 20 anos.






“Onde eu levo minha CB 500, tinha para vender uma CBX 750F’86. Não se trata de uma moto difícil de achar para vender, apesar de apenas terem feito 700 unidades. Ele (Sr. Cannata) passou a falar sobre essa moto diversas vezes, juntou dinheiro e depois de um ano chegou e me falou: ‘Vou comprar aquela CBX…’ AQUELA!!! Aquela CBX não estava mais à venda. Fomos atrás do dono que havia desistido de vender. Após alguma conversa o cara topou e fechamos negócio (não pagamos barato, mas nada paga um sonho). Eu também nunca tinha pilotado uma CBX até então. O ex-dono deixou ela na oficina onde levo a minha moto para uma revisão. Meu pai estava trabalhando até mais tarde e pediu para eu pegá-la. O dono da oficina e o mecânico falaram: ‘Você vai curtir de mais essa moto. A moto está otima, fique tranquilo.’ Eu estava com medo, mas a moto é tudo que falam. Fiquei assustado! Comparando-a com a minha CB 500, a minha parece uma bicicleta! É muito tesão! Não dá vontade de parar de andar e é muito ignorante acelerar ela pra valer.” – palavras do Vinicius.




Chegando em casa, a Sra Cannata ainda não havia sido informada da nova aquisição, mas ficou extremamente feliz em saber que seu esposo havia realizado um sonho antigo. Ao chegar em casa tarde da noite, Sr. Cannata parou admirando a motocicleta e só saiu para a primeira volta no dia seguinte bem cedo. Particularmente, acho que a noite foi muito mal dormida por conta da ansiedade. Luvas, capacete, jaqueta e a primeira partida. O ronco insiga e a cada torcida no acelerador as 750cc distribuidas entre os quatro cilindros fazem a família inteira acordar. Ao retornar, o veredíto: “Já posso morrer feliz.” A realização de um sonho estava concretizada. A única modificação efetuada foi a substituição do sistema de escape 4×2 para um mais livre 4×1 que deixa o ronco ainda mais aprazível de se escutar.




“Quando eu saio com ela o caminho de casa sempre fica maior. Não dá vontade de parar!”

As belas fotos clicadas pelo amigo Camilo Fontana resgatam bem a essência deste ícone. Pilotando, Vinícius consegue compreender bem a enorme paixão de seu pai por esta moto.

Gostei bastante da história do Sr. Cannata e sua CBX 750F. Me lembrou bastante a paixão do meu pai por Fuscas e espero que um dia ele possa curtir seu sonho como o pai do Vini faz. Um amor de verdade, jamais pode ser esquecido. No máximo, fica guardado com muito cuidado no fundo do peito… seja o tempo que for.

Abraços!

comentários
  1. Aircooled disse:

    da hora!

  2. PedroJJ disse:

    tesao de moto, o ronco eh de matar, porem as mais antigas tem o ronco ainda mais lindo!

  3. Luizcb disse:

    parabens ao pai do vina por realizar o sonho… el emerece. eh uma pessoa incrivel ! abracos

  4. nEoTTi disse:

    Essa moto é um show, ao vivo ela é mais perfeita ainda. Parabéns a familia Cannata, Vina, Camilo e o Rafa por essa excelente matéria …

    Um grande abraço,

    nEoTTi

  5. Conheço a família do Vinicius há quase 15 anos e já ouvi várias vezes o pai dele falar “um dia vou ter uma sete galo”,o dia chegou! é um presente mais que merecido, prazer imenso clicar a máquina!

  6. Bonita a moto… É do eu tempo, mas já é vintage… ahahaha. Não me lembrava como ela era esguia e elegante nesse primeiro modelo com a roda pequena na frente e os faróis quadrados.

    PArabéns

  7. Di Vila disse:

    Se com 4×2 ja era o ronco mais lindo até hj,imagina com 4×1 como deve ter ficado…
    show de bola mesmo!!!parabens!!!
    Ps. Não adianta insistir,ja falei mil vezes que não vou trocar pela biz!!!uahauha

  8. GERMANLOOKOS disse:

    “Magia Negra” não é a toa que tem este apelido, esta moto enfeitiça! posso dizer isso porque além da minha paixão por carros aircooleds, grandes motos me deixam atordoado também… Parabéns ao pai do Vina, agora é só jogar o recibo fora!

  9. Taí a prova cabal de que um sonho sempre é factível de ser alcançado !!!
    Eu também sonhe4i muito em poder ter um carro que pertenceu à família da minha esposa, e depois de vários anos e portas na cara consegui concretizar o meu desejo: na minha garagem agora descansa tranquilo e sereno um Dodge Dart Cupê de Luxo 1979, viatura que deu vários momentos felizes à minha mulher, e que agora voltou ao nosso convívio…Para NUNCA MAIS sair dele !!!
    Parabéns à família Canatta tanto pelo sonho quanto pela motocicleta, sensacional !!!!

  10. Pretto disse:

    CBX 750, a famosa “7 Galo”. A moto é sensacional, já fui dono de várias (hoje tenho uma Indy 94/95). Se querem saber e aprender mais com essa rainha, visitem nosso Fórum, há 5 anos promovemos encontros entre os amantes dessa maravilhosa máquina. Anotem: http://www.cbx750.com.br

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s