::Fiat Mille "Red" Fire Flex

Publicado: julho 8, 2011 em 1.5R, 1.6R, Fiat, Fire, Flex, Mille, preparado, Racing, Suspensão fixa, Track Day, Turbo, Uno
Quando postei o vídeo de um Fiat Mille Fire Flex apavorando na pista durante o 3° Track Day de 2011 ocorridos aqui no Distrito Federal, foi engraçado ler os comentários acerca do vídeo, da tocada do piloto e da descrença de alguns ao saber que aquele é um reles Mille Fire. Mas todos tem seus segredos…

A liberdade é azul

Flávio Fraga, o proprietário, é professor de Biologia e administrador do fórum Fiat Clube, mas desde muito tempo está envolvido com competições automobilísticas. Quando o conheci, ele corria com seu Fiat Uno 1990, conhecido entre os amigos por “Azul”, equipado com um motor 1.6 16v proveniente da extinta Fórmula Palio e com um pouco mais de pimenta (um dia ele dá as caras por aqui). O carro conta com body-kit completo do Uno Turbo e detalhes estéticos/mecânicos bastante interessantes. Correu nos campeonatos de arrancada do DF e GO entre 2003 e 2006, chegando a marcar 13,5 segundos nos 350 metros de extenção das pistas. Com este carro Flávio ia às compras, viajava, ia ao cinema, trabalhava… todas as atividades propostas a uma vida normal, mas chega uma hora que o uso civil fica comprometido em detrimento de um melhor comportamento nas pistas.

Foi aí que Flávio viu a necessidade de adquirir outro veículo para uso diário (que não deveria ser alterado), concentrando grana e esforços no Azul, que seria completamente aliviado, motor com cilindrada aumentada para 1.9L, gaiola de proteção homologada, bancos concha fixos… Aí começa a história do Vermelho.

A fraternidade é vermelha

Quando se tem um carro preparado, a garagem/depósito tende a ficar abarrotada de peças sobressalentes. No caso do Flávio, o cara é um verdadeiro entusiasta da marca italiana e profundo conhecedor dos modelos Uno/Mille e Palio – para se ter noção, ele sabe quase que de cor o catálogo de peças da montadora para eles – e já vinha juntando há um bom tempos peças raras e sobressalentes de diversos Unos dos mais diversos modelos. Pára-choques e aerofólios originais dos Unos Turbo com todas as saias e agregados, painéis e forros de portas dos modelos esportivos do modelo, volantes Momo das séries especiais dos Palios/Siena Sport MTV… tudo guardadinho para prevenir qualquer “acidente” que o Azul pudesse ter.

O Mille é o modelo de entrada da marca e, assim sendo, é também o mais desprovido de equipamentos. Sendo um carro de uso diário, de fábrica vieram apenas o conjunto de vidros e travas elétricas. Como o Azul seria depenado, o fechamento seria feito em fibra de carbono pela Carbon55 e boa parte de suas peças ficaria sem utilização, Flávio decidiu instalar boa parte dos acessórios no Vermelho para garantir mais identidade.

Os bancos originais de um modelo 1.6R’92 e os forros de porta do Uno Turbo foram forrados em couro preto com costuras vermelhas quando ainda estavam instalados no Azul e foram parar no Vermelho. A capa do painel – originalmente cinza – foi substituida por uma da cor preta com o console central alongado do Uno Turbo. O volante e as pedaleiras são originalmente da linha Sport MTV dos Sienas/Palio Weekend, enquanto o descanso de embreagem é na verdade um pedal de Marea Turbo adaptado e forro de teto é preto do Uno Turbo.

Até este ponto, nada demais em adicionar alguns mimos extras. Mas Flávio já descobrira o doce sabor das curvas do Autódromo Internacional Nelson Piquet em Brasília e como o Azul virou uma verdadeira reforma do tipo MonsterProjectz, algumas concessões foram feitas, mas sem exagerar, afinal este é o carro de uso diário – ele deve repetir-se isso toda vez que visita uma concessionária Fiat para não fazer besteira.

Recentemente o Mille Vermelho ganhou dois presentes inusitados: uma gaiola de proteção utilizada nos Unos furgões e um escape completo mais livre dos modelos mais recentes, com uma ponteira de Alfa Romeo no centro do pára-choque. Para a instalação da gaiola, o banco traseiro precisou ser removido. Ela foi fixada diretamente no assoalho, nas colunas – nos apoios dos cintos – e em mais dois pontos extras com parafusos de 13mm e haste de 8m. “No Uno furgão esta divisória é originalmente presa em pontos mais frágeis. Como queria reduzir a torção, fixei-a em pontos chaves.” – revela o proprietário, que continua: “O escape agora conta com coletor tubular com catalizador integrado na vertical original dos Mille 2007 e intermediário original dos Mille 2009, que não tem abafador.

O final é um abafador esportivo para Uno mas colocado na longitudinal e com ponteira da Alfa Romeo, saindo no meio do escape logo abaixo da placa. A eliminação do ‘Z’ final do escapamento do Uno, altera o som estridente para um som grave semelhante ao do Palio Fire com escape esportivo.” – diz Flávio. No mais, o motor conta apenas com um filtro de ar esportivo e sempre é abastecido com gasolina Pódium.

Um dos maiores segredos para o bom comportamento do carro nas curvas está no acerto da suspensão, na confecção de alguns componentes utilizados para reduzir a rolagem lateral, a inclinação nas curvas e o conjunto aliviado. O motor perdeu seus atenuadores de ruído, capa e demais adereços estéticos desnecessários. Uma barra anti-torção foi confeccionada sob medida e instalada com o uso das chapas de coluna e prisioneiros originais do Uno Turbo, enquanto a longarina dianteira inferior foi substituída por uma tubular do modelo 1.6R. Até o estepe que fica no cofre do motor foi removido e agora fica no amplo porta-malas – sem banco, tudo é porta-malas! – preso em um suporte soldado ao assoalho do lado direito (para balancear o peso) e recoberto com uma tampa de ferramentas do Palio.

Originalmente, a barra estabilizadora dianteira apresenta diâmetro de 15mm, mas Flávio optou por instalar a do 1.6R de 18mm para maior estabilidade. O acerto da suspensão foi feito visando melhorar o comportamento do carro principalmente nas curvas, então a traseira teve sua cambagem reduzida para apenas 1° negativo, enquanto a dianteira foi alterada para trabalhar com 1,5° negativo e as convergências chegaram próximas a zero.

As molas dianteiras foram reduzidas em um elo, o feixe traseiro levemente desarqueado (Uno/Mille não utiliza molas helicoidais na traseira, mas um feixe de molas ligando os braços da suspensão idenpendente) e novos pneus Yokohama A.Drive de medidas 165/65-13 foram montados nas clássicas rodas em alumínio da Italmagnésio que equiparam os modelos 1.5R e 1.6R entre os anos de ’89 a ’93. Estas rodas possuem medidas 5,5×13″ e escondem os discos de freios dianteiros ventilados de 240mm dos Palios 1.6 16v, garantindo que a frenagem não sofra fading na pista.

Externamente, o carro ganhou pintura preta na base dos vidros, nas laterais, pontas do capô, moldura da placa traseira e na entrada de ar do pára-choque. O aerofólio veio do Uno Turbo e a palheta defletora do limpador de pára-brisas de um Marea. As molduras do modelo Way foram instaladas tão logo estiveram disponíveis nos revendedores e agregaram opulência ao exemplar. A preocupação com os detalhes chegou até os retrovisores, que foram substituidos por outros do modelo 1.5R sem as sanfonas.

O frigir dos ovos

Com toda a preparação aplicada, o Mille chega a virar aproximadamente 2:58min no Autódromo de Brasília (que infelizmente não é cronometrado), atingindo picos de 150km/h na reta dos boxes. “Para fazer este tempo, as frenagens tem de ser mínimas e o mais tarde o possível. O anel externo do autódromo de Brasília é uma longa caminhada, mas é no miolo que ele se sente em casa.” – relata Flávio que em seus vídeos demonstra toda a desenvoltura de seu Mille sobre carros de maior cilindrada.

E se você pensa que o acerto prejudicou o uso diário está redondamente enganado. O Mille chega a fazer uma média de 20km/l no trânsito de Brasília e cai para 15km/l quando roda na pista. Dá pra ir ao autódromo, torrar gasolina na pista e voltar para casa com pouco mais de meio tanque!

Anúncios
comentários
  1. Anonymous disse:

    Muito bom…gostei de ver a criatividade nesse Mille Red.

    Agora só falta fazer uma matéria sobre o “Azul”.

    Excelente post !!

    Abs,

    Roberto

  2. Ingo R disse:

    eu colocaria os farois,lanternas,piscas dos unos 1980's

  3. Flavio Fraga disse:

    Ingo R,
    Infelizmente, não é tão simples, para colocar a “frente” além das “peças externas” teria de ser trocado o painel frontal, já na traseira, as “peças externas” poderiam ser mais facilmente adaptadas, mas o acabamento lateral do paralama traseiro com o parachoque não ficaria igual…
    Abraço

  4. Ingo R disse:

    mas ficaria show,aindo faço um assim

Gostou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s